A criação da Semana do Brasil, que vem sendo chamada de Black Friday verde e amarela, tentativa para estimular as vendas durante uma data nacional, pode ter um valor simbólico, mas deve ter efeito limitado para o desempenho do varejo. Na visão de economistas, a campanha no máximo causará uma antecipação do período de compras.

– Você tem um deslocamento da demanda, mas não um aumento das vendas. As pessoas podem, por exemplo, antecipar as compras do Dia das Crianças. É mais um simbolismo do que um potencial para mudar o patamar de vendas – explicou Luiz Otavio de Souza Leal, economista-chefe do banco ABC Brasil.

Para Leal, uma mudança do patamar de vendas do varejo depende do aumento da massa de salário, difícil em um cenário de desemprego elevado. Mesmo a liberação dos R$ 500 das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que começa em setembro, só deve ter um efeito mais significativo na demanda do consumidor no último trimestre do ano.

– Talvez vejamos um evento na Black Friday, em novembro, que vai coincidir com a liberação do FGTS. Aí sim podemos ter uma mudança de patamar e um crescimento na comparação com o ano anterior – disse.

Vendas menores que em 2018

As vendas no varejo restrito (exclui veículos e materiais de construção) têm ficado abaixo do esperado por economistas. No acumulado do primeiro semestre, o crescimento é de apenas 0,6% na comparação com igual período do ano anterior.

“Esse cenário reforça a nossa visão de que o consumo continua crescendo moderadamente, impulsionado pela expansão do crédito à pessoa física e leve crescimento da massa salarial”, avaliaram os economistas do Itaú Unibanco.

Nas contas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), mesmo com a liberação do FGTS, o varejo restrito deve crescer no ano apenas 1,3%, abaixo dos 2,3% registrados em 2018.

Para Carlos Tadeu de Freitas, economista-chefe da CNC, a iniciativa é positiva e a liberação dos recursos do FGTS, mesmo que boa parte seja destinada para o pagamento de dívidas, é positiva para o segmento do comércio. No entanto, reconhece que a economia ainda está fraca.

– Mas hoje já temos sinais de que o comércio está reagindo. Há mais facilidade para a tomada de crédito – disse, lembrando que isso beneficia a venda de bens duráveis (geladeiras, televisões).

Matéria original publicada em: O Globo

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: